1 de Junho de 2012

CXCVIII - O Caminho faz-se Brincando


Ir à nossa essência? Como a nossa essência é TUDO, é limitador passar a vida adulta como se NÃO continuássemos crianças... de coração limpo... ainda sem contas por fazer no tempo que passamos a construir as nossas brincadeiras e assim a nossa Realidade!

                                                                           "o caminho faz-se brincando"

28 de Julho de 2011

CXCVII - Asas Alçadas


Alça asas, para poderes voar. Cuida das tuas asas com carinho, rigor e determinação.
Com carinho, para que elas possam crescer livres, sem comprometimentos pueris. Com rigor, para que o céu se apresente a ti, sempre, como um grande e respeitoso criador de estrelas.E determinação, para que nunca desistas, mesmo quando as tuas asas estiverem longe de voar, longe dos céus, longe da luz.«Como devo cuidar das minhas asas?», perguntas tu.É simples, meu amigo. Simples como tudo aqui de cima.Eleva-te.Eleva a tua vibração. Cuida para que todos os teus pensamentos, todas as tuas acções, todas as tuas preocupações espelhem sempre e em qualquer ocasião o mais alto padrão energético que tu possas conceber.Cuida para que o ego, o julgamento, a culpa e a resistência estejam sempre a anos-luz da tua energia.Cuida para que os teus sonhos sejam acarinhados por ti, mesmo quando não os consigas realizar.Um sonho não realizado permanece um sonho. Ou pode transformar-se numa frustração.A escolha é tua.E, principalmente, cuida para que, quando vieres cá acima, consigas alçar as tuas asas o mais alto e o mais largo que a tua energia consiga alcançar.E sobrevoa os céus, com a força da minha protecção.E quando voltares à terra, quando voltares à tua vidinha quotidiana, vais sentir no teu corpo estas paragens, e se fechares os olhos e respirares, ainda poderás sentir nas tuas costas o movimento dos pássaros.E ninguém vai saber o que aconteceu.E ninguém vai saber que sabes voar, e que tens umas asas enormes.E ninguém vai perceber o quanto és feliz.É um segredo.Teu e meu.Teu, meu e do Universo inteiro.E quando alguém te tentar cortar as asas, vais também saber que há concessões que nunca, jamais se fazem.E esta é uma delas.
JESUS
in. Muito Mais Luz – Pergunte. O Céu Responde

25 de Julho de 2011

CXCVI - Ilusões

A vida não cessa e a morte é um jogo escuro de ilusões. Fechar os olhos do corpo não decide os nossos destinos. É preciso navegar no próprio drama ou na própria comédia... Uma existência é um ato, um corpo, uma veste, um século, um dia. E a morte... A morte é um sopro renovador. Mas não vou sofrer com a ideia da eternidade, é sempre tempo de recomeçar!

in: Nosso Lar (filme 2010)

19 de Julho de 2011

CXCV - O Meu Calcanhar de Aquiles

O meu calcanhar de Aquiles é a minha própria história, minha própria vida, essa é a minha fragilidade. Eu não sinto medo da minha fragilidade, não. Assusto-me quando não quero expor a minha fragilidade. Isso me assusta, pois eu sei que estou querendo ser o que eu não sou. Mas quando eu exponho, sinto liberdade... Quando me flagro neste jogo digo para mim: "Opa, vamos sair disso." A minha fragilidade é a minha força. O que eu renunciei na minha vida, o que eu passei na minha história é que me deu forças para continuar, na minha dor estava a minha força. Quando eu mais clamava, quando eu mais sofria, quando tudo mais doía, nascia então a minha força, a minha asa ficava mais forte para voar, para eu chegar mais perto de mim mesmo. O amor comporta tudo...
Xamã Alba Maria

1 de Julho de 2011

CXCIV - Mantra da An-Coragem

Quero__

tranquilidade__

ser feliz agora aqui___

Quero__

alegria__

quero sol no coração___

29 de Junho de 2011

CXCIII - Aceitar as Irritações Cotidianas

Não podemos trapacear nossa atual experiência de vida; não podemos trapacear nossas experiências ou mudá-las, tendo alguma crença irreal de que tudo ficará bem, que no final tudo será bonito.

Se usarmos essa abordagem, então as coisas não ficarão OK. Exatamente devido ao fato de que esperamos que as coisas sejam boas e bonitas, elas não serão.

Em uma abordagem genuína à espiritualidade, não procuramos por estímulo, inspiração ou êxtase. Em vez disso, trabalhamos duro com as irritações da vida, trabalhamos e fazemos delas um lar.

Então as irritações se tornam uma fonte de grande alegria, alegria transcendental, porque não há realmente nenhuma dor envolvida.

Chogyam Trungpa

19 de Junho de 2011

CXCII - Encare o problema de forma otimista

Uma empresa desenvolveu um projeto de exportação de sapatos para a Índia. Enviou dois de seus vendedores a pontos diferentes daquele país, para que levantassem o potencial do mercado. O primeiro vendedor enviou o seguinte fax para a diretoria da empresa: "Senhores, cancelem o projeto de exportação de sapatos para a Índia. Aqui ninguém usa sapatos".

Sem ter conhecimento desse fax, o segundo vendedor enviou o seu: "Senhores, tripliquem o projeto de exportação de sapatos para a Índia. Aqui ninguém usa sapatos ainda".

Veja que interessante: a mesma situação foi interpretada como um tremendo obstáculo por um dos vendedores e como uma fantástica oportunidade por outro. Isso mostra como tudo na vida pode ser visto com enfoques e maneiras diferentes. Ao analisar um problema na empresa, procure observá-lo de todos os ângulos possíveis. Quem sabe você não possa transformar problemas em oportunidades?

In:O Que Podemos Aprender com os Gansos, Alexandre Rangel

6 de Junho de 2011

CXCI - tudo para melhor

"Todo o vosso corpo, desde a ponta de uma asa até à ponta de outra asa - costumava dizer Fernão - , não é mais do que o vosso próprio pensamento, uma forma que podem ver. Quebrem as correntes do pensamento e conseguiráo quebrar as correntes do corpo..."

in: Fernão Capelo Gaivota – Richard Bach

11 de Maio de 2011

CXC - 15 minutos, duas vezes ao dia


Projecta-te
no teu sonho
mais feliz

21 de Março de 2011

CLXXXIX - Árvore Cósmica

A árvore cósmica para os druidas representava o “centro”, ponto de união entre o macro e o micro: a sua seiva supria a chuva celestial e os seus frutos proporcionavam a imortalidade (o retorno do ser a um estado paradisíaco).

Assim ocorria com os frutos da Árvore da Vida que se encontrava no Éden, as maçãs de ouro do Jardim de Hespérides e o pêssego da Si-wang, a seiva de Haoma Iraní. O Hiomarigi japonês também é valorizada como uma árvore cósmica, igual a Boddhi, junto da qual Buda alcançou a plena iluminação.

O simbolismo chinês conhece a árvore da fusão: une o Ying com o Yang (Cruzamento das flores masculinas e as femininas da árvore).


Assim mesmo, as categorias das árvores: as folhas caducas e as folhas perenes estão afetadas por signos opostos: um simboliza o céu das mortes e renascimento; e o outro representa a imortalidade da vida, quer dizer, das manifestações diferentes de uma mesma identidade.


Na Bolívia e no Haiti, a árvore não é só deste mundo, ela sobe para mais longe. Vai dos infernos aos céus, como um caminho de viva comunicação.


Para os celtas a árvore cósmica tinha o nome de Bilé, no idioma irlândes, e a germânica se chamava Iggdrasil no idioma antigo nórdico (Old Norse).