13 de novembro de 2008

CXLVIII - Apego


Quando vejo as pessoas apegando-se a ilusões como sendo reais, a compaixão surge com força.
Se alguém considera o sofrimento nos seis reinos como sendo dele mesmo, não há tempo para ser ordinário.
Quando alguém vê que a característica do samsara é o sofrimento, nasce uma mente que jamais deseja nada!
Quando alguém vê as diversas bases como coisas sem-raiz, o apego a si não surge!
Quando a impermanência nasce na mente, fé e perseverança irão se unir!
Aqueles que se apegam à permanência não irão destruir o insistente apego às coisas como sendo reais!

Padampa Sangye (séc. XII)
"Lion of Siddhas"

2 Comments:

Blogger José Miguel Gomes said...

Os séculos passam e alguns pensamentos permanecem como sendo de amanhã.

Fica bem,
Miguel

quinta-feira, novembro 13, 2008 5:57:00 da tarde  
Anonymous artur said...

Daí a importância do PRESENTE! Gosto da tua visita.
Bom Fim de Semana, Miguel!

sábado, novembro 15, 2008 3:33:00 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home